Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ohhmaeee...

Eu, nós, eles, e o mundo à nossa volta.

Ohhmaeee...

Eu, nós, eles, e o mundo à nossa volta.

21
Jan22

Gaffe nos posts (?)

Mãede2

Hoje percebi que tinha acontecido algo com o meu último post, não sei o que se passou, talvez por aceder pelo telemovel, embora tenha quase a certeza de que quando o li estava exatamente como o escrevi. Hoje, no entanto, ao voltar a lê-lo (gosto de voltar a ler o que escrevi) as palavras não eram as mesmas, as frases não estavam como as tinha antes deixado... Ao querer editar, não consigo (re)escrever o que antes me tinha saído naturalmente.

Fiquei um pouco confusa e triste, pois por vezes não faço "rascunhos", escrevo o que na altura me vai na alma, são palavras que saem de jorro, sem aviso prévio. Raramente, ou quase nunca, consigo depois formular os mesmos pensamentos extraídos naquele momento. São breves momentos de lucidez que deixo diretamente aqui sem que antes os tenha colocado em qualquer outro sitio. É assim que gosto de o fazer, que me faz sentir bem. Como se este fosse realmente o meu diário. 

Passarei então a guardá-los também para mim, não vá o diabo tecê-las...

18
Jan22

Falar através da escrita

Mãede2

Desde sempre, ou tanto quanto me recordo, que me consigo exprimir melhor através da escrita. Há quem possa achar tolice, criancice, ou até mesmo covardia... Achem o que for, pelo menos para mim, é-me mais fácil (d)escrever o que sinto, o que penso, consigo mesmo de melhor forma expulsar a "bola de pêlo" que me fica por vezes presa na garganta. Uma bola que me impede de conseguir deitar para fora todo o mar de pensamentos que vagueiam a minha mente. 

Com a escrita consigo expressar melhor o que muitas vezes no diálogo me falta, consigo realmente dizer o que penso, o que sinto, como se uma fonte descarregasse tudo o que me vai na alma. Sou eu na minha forma mais pura.

Desde cedo que me sinto bem de caneta e papel na mão. Em criança escrevia em diários, cadernos, pequenas folhas soltas. Escrevi cartas, quando ainda não pensávamos sequer em poder enviar mensagens. Primos e amigos de infância trocavam correspondência, depois que as férias terminavam e voltávamos todos para as nossas casas, mantinhamos contacto enviando uns para os outros cartas a contar como estavamos, as novidades ou lembrando o tempo de férias e sonhando já com as próximas que ainda estavam para vir ! Era uma tradição que adorava e que com o tempo, as novas tecnologias, foi perdida com muita pena minha. Agora enviamos mensagens de tempos a tempos. Mas não me parece o mesmo. Perdeu-se a magia de se ler todas as novidades que se tinha para contar! Hoje as nossas vidas correm e apesar de tantas e tão rápidas formas de comunicação, parece-me não ser o mesmo.

06
Jan22

O medo de escrever o absurdo!

Mãede2

"Escrever é sempre difícil. É escutar a nossa voz interior. Ouvir o que pensamos nem sempre é fácil. Talvez seja por isso que seja tão complicado arranjar tempo e espaço para a escrita." (T.)

Descobri nos destaques do SAPOBlogs um novo / a   que me fez perceber que é preciso enfrentar nossas fases menos boas.

Não tenho conseguido encontrar inspiração para escrever e no entanto aqui vejo alguém com coragem para se assumir por vezes com "medo" da escrita. Como o próprio diz, escrever é escutar a nossa voz interior e nem sempre é fácil admitirmos o que ela nos quer dizer com medo do que poderá sair dali... o problema não estará tanto no tempo e espaço para escrever, mas mais no receio de que o que escrevermos possa se revelar o mais absurdo, ou até mesmo do que poderá mostrar sobre nós próprios!

Na falta da tal inspiração, tenho-me virado mais para a leitura, e li algo num dos livros do guru indiano OSHO que fala exatamente da loucura que podemos descobrir na nossa mente: «(...) E quando ganhar consciência dos seus pensamentos, ficará surpreendido com o que se passa dentro de si. Se anotar seja o que for que estiver a acontecer em qualquer momento, estará preparado para uma grande surpresa. Não acreditará que isso é o que está a acontecer dentro de si. E passados ​​dez minutos, leia as anotações - verá uma mente louca lá dentro! »

Um Ano Maravilhoso para todos!